Momentum




Toco as palavras com a intimidade de amante lasciva...


Junto-as, afago-as, jogo-as sobre as linhas com o desejo a arder os sentidos...


Levo-as à harmonia, à integração total com o pensamento, o querer... assim, sem pressa... sentindo tomar conta de mim o prazer inebriante de vê-las se unirem em frases...


E vejo-as, palpitante, lânguidas, entregues... a traduzir em sons e grafia todo o amor, todo o desejo, toda a posse de pensamentos, sentimentos, anseios...


Percebo-as, assim, entregues em minhas mãos...


E, em pleno êxtase da criação, eis que surge!


A expressão concretizada, a rima realizada...


O poema, enfim!


Perplexa e encantada ante o milagre que deu forma e som a sentimentos e emoções, sinto que, por um único e efêmero momento, toquei Deus com a ponta de meus dedos!

Um comentário:

  1. Ou será que é Deus que conduz nossa mão, quando tão inspirados versos se concretizam, assim, tão bonitos?
    beijo e bom final de semana

    ResponderExcluir

Fico feliz por você deixar sua opinião - ela é muito importante para mim!
Muita luz e amor
mirna