Apelo


Minha voz ecoa
em sucessivos apelos...
meu chorar inunda...
e impinge flagelos...
porque minha dor é funda!
Filhos a quem tudo dei,
sucumbiram à ganância...
e, alheios ao que ensinei,
me destroem, sem tolerância!
Sou mãe que pede, sofrida,
aos filhos que amo ainda:
cuidem de mim, natureza,
pois sou sua vida, com certeza!

6 comentários:

  1. Que lindo...ahhh como eu queria saber fazer poemas assim....muito lindo!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Que lindo poema, que reagata o sentimento poético e a sensibilidade da alma humana para as relações e os atos próprios da vida. Parabéns pelas palavras magníficas descritas nesses versos maravilhosos.

    Abraços

    Francisco Castro

    ResponderExcluir
  3. Mirna,

    Lindo poema!

    Quanto sentimentos e emoções!

    Parabéns!

    Bia

    ResponderExcluir
  4. Olá Mirna, visitei seu blog pela primeira vez.Parabéns pelos poemas. Voltarei sempre.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Amiga Mirna...

    ´Muito bonito este apelo da mãe natureza
    aos seus próprios filhos que a destroem.
    Como são belos seus poemas.
    Um bom fim de semana.

    Agraços

    Alvaro Oliveira

    ResponderExcluir
  6. Lindo. Me lembro um pouco de "Estrela Natureza" do Sá & Guarabira. Não pelos versos, mas pela necessidade de gritar nosso amor à natureza. E deixar claro o quanto precisamos dela saudável.

    ResponderExcluir

Fico feliz por você deixar sua opinião - ela é muito importante para mim!
Muita luz e amor
mirna