Saída


E eis que me acho aqui,
perdida no meio do nada,
sem saber de onde saí...
se tenho de ficar esquecida,
que seja em meio a palavras
das quais reconheço a vida...
E, navegando entre elas,
na pura expressão sentida
encontro, da minha desdita,
a mais sublime saída!

Um comentário:

  1. Olá Mirna

    Por vezes os poetas senten-se perdidos
    no meio do nada. Mas é lutando, que se
    consegue encontrar uma saída sublime,
    Muito bonito este poema, com um sentido
    de realiodade.

    Beijos

    Alvaro

    ResponderExcluir

Fico feliz por você deixar sua opinião - ela é muito importante para mim!
Muita luz e amor
mirna