TEMPO


Tempo de tudo esquecer...
os tantos ternos abraços;
beijos de amor e paixão;
sorrisos em meio a cansaços;
a mão amiga no turbilhão...
Tempo de tudo esquecer...
o luar sobre o mar sonolento;
o correr na chuva, a gargalhar;
o vibrar de um simples acalanto;
o tanto que ousamos amar...
Tempo de tudo esquecer...
só lembrança restou, nada mais, afinal,
e lembrar se tornou triste assim,
então, esquecer é por o ponto final
e encerrar uma história sem fim!

Um comentário:

  1. Mirna querida, tristes versos. Desesperançosos. Mas sem perder o encantamento que você empresta às palavras.

    Beijos ternurentos. Tô morrendo de saudades.

    Clau Assi

    ResponderExcluir

Fico feliz por você deixar sua opinião - ela é muito importante para mim!
Muita luz e amor
mirna